Djidja era investiga pela polícia antes de sua morte por envolvimento no grupo "Pãe, Mãe, Vida"

Djidja cardoso ex sinhazinha boi garantido

Djidja, ex-sinhazinha do Boi Garantido. (Foto: Reprodução/ Redes Sociais)

A ex-sinhazinha do Boi Garantido, Djidja Cardoso, estava sendo investigada pela polícia por participação no grupo "Pãe, Mãe, Vida", antes de falecer nesta semana, na última terça-feira (28).

De acordo com a Polícia Civil, o grupo usava cetamina em rituais e as investigações começaram há cerca de 40 dias. A cetamina é uma droga e era adquirida em clínicas veterinárias. O grupo fazia a distribuição entre os funcionários da rede de salões de beleza da família de Djidja Cardoso.

Conforme o delegado, eles induziam os seguidores a usar a droga falando que eles iriam transcender a uma outra dimensão e iriam alcançar um plano superior e a salvação.

As prisões

Cleusimar Cardoso e Ademar Cardoso, mãe e irmão da ex-sinhazinha do Boi Garantido, Djidja Cardoso, tiveram a prisão preventiva decretada pelo Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) e foram detidos nesta quinta-feira (30).

Além dos familiares, três funcionários do salão de beleza Belle Femme, do qual Djidja era sócia, também tiveram as prisões decretadas. São eles: a gerente do estabelecimento, Claudiele Santos da Silva, o maquiador Marlisson Vasconcelos Dantas e Verônica da Costa Seixas. As informações são da Revista Cenarium.

Acusações e Medidas Judiciais

De acordo com o site, a Justiça acusa os cinco indivíduos de estupro, associação para o tráfico de drogas e venda de drogas. O mandado também prevê que sejam realizadas buscas e apreensões na casa da família de Djidja Cardoso. A prisão preventiva foi decretada para prevenir que os suspeitos intimidem testemunhas e destruam provas que atestem os crimes pelos quais serão investigados.

Prisão e Repercussão

Imagens que circulam nas redes sociais mostram o momento da prisão dos acusados. No vídeo, é possível ver que eles tentavam fugir quando foram pegos pelas autoridades. A prisão dos familiares e funcionários do salão de beleza marca um desdobramento significativo e inesperado após a recente morte de Djidja, que abalou a comunidade local.

Contexto e Investigação

Djidja Cardoso, ex-sinhazinha do Boi Garantido, morreu aos 32 anos e sua morte gerou grande comoção. A prisão de seus familiares e associados adiciona uma camada complexa ao caso, trazendo à tona questões de criminalidade que ainda estão sob investigação.

A detenção de Cleusimar e Ademar Cardoso, juntamente com os funcionários do Belle Femme, destaca a seriedade das acusações e a necessidade de uma investigação profunda para elucidar os fatos e responsabilizar os envolvidos.


T5



Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem