Inadimplência na PB aumentou 0,16% em abril em relação a 2023, segundo SPC Brasil

Comercio EBCFoto: EBC (Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil)


Quitar as dívidas ainda tem sido um desafio difícil para muitos consumidores na Paraíba. Levantamento realizado pelo SPC Brasil aponta que a inadimplência no estado aumentou 0,16% em abril, em relação ao mês de março deste ano e na capital, o índice de devedores sofreu redução de 0,54%.

Na passagem de março para o mês de abril, o número de devedores no estado cresceu 0,11%. No mesmo período a média de crescimento do endividamento no Nordeste foi de 0,60%.

Os dados indicam que a participação mais expressiva entre os devedores são o consumidor na faixa etária dos 30 aos 39 anos, o que representa 24,78% e a participação por gênero é maior entre as mulheres, que são 54,2% contra 45,8% dos homens.

Em abril de 2024, segundo o levantamento, cada consumidor negativado do estado devia, em média, R$ 4.429,88 na soma de todas as dívidas.

Os dados ainda mostram que 30,01% dos consumidores do estado tinham dívidas de valor de até R$ 500, percentual que chega a 43,94% quando se fala de dívidas de até R$ 1.000. O tempo médio de atraso dos devedores negativados da Paraíba é igual a 28,0 meses, sendo que 41,08% dos devedores possuem tempo de inadimplência entre 1 a 3 anos.

Perfil das dívidas


Na Paraíba, 73,03% das dívidas pendentes, segundo o SPC Brasil e Câmara de Dirigentes Lojistas de João Pessoa (CDL-JP) foram contraídas com os bancos. Em segundo lugar, as maiores dívidas são do segmento da comunicação, com outros 8,26%. Dívidas referentes à consumo de água e luz representaram 7,52% dos endividamentos e compras não quitadas com o comércio representaram 6,37%.

Quitação

De acordo com a Câmara Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), 8 em cada 10 consumidores que atrasaram essas contas no mês de abril são reincidentes nas pendências econômicas.

O indicador mostra que houve crescimento de 1,99% no número de consumidores que conseguiram sair das listas de negativados nos últimos 12 meses. Segundo o documento, "muitos consumidores têm dificuldade em se manter fora dos cadastros de negativação".

Reincindentes

Dados da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) apontam que em abril de 2024, do total de negativações, 84,52% foram de devedores reincidentes, isto é, que já tinham aparecido no cadastro de inadimplentes nos últimos 12 meses.

Considerando o universo de devedores reincidentes, 59,28% foram de consumidores que ainda não tinham pagado dívidas antigas até abril e 25,24% tinham saído do cadastro de devedores nos últimos 12 meses, mas retornaram. O restante, 15,48%, não esteve com restrições no CPF ao longo dos últimos 12 meses e, por isso, não foram considerados reincidentes.


T5

Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem