Mulher presa por levar homem morto a banco para tentar empréstimo afirmou à polícia ser sobrinha e cuidadora dele

whatsapp-image-2024-04-16-at-20.08.58.jp


Ela foi autuada em flagrante; delegado diz que continuará investigação com depoimento de parentes do idoso. Em depoimento à polícia, Érika de Souza Vieira Nunes, presa em flagrante nesta terça-feira após levar um homem morto, numa cadeira de rodas, a uma agência bancária na Zona Oeste do Rio, para tentar fazer um empréstimo de R$ 17 mil, afirmou ser sobrinha e cuidadora dele. 



O delegado Fábio Luiz, da 34ª DP (Bangu) e responsável pela investigação, afirmou à TV Globo, que ouvirá parentes de Paulo Roberto Braga, de 68 anos. "Ela tentou simular que ele fizesse a assinatura, mas os funcionários acharam que ele estava doente e chamaram o Samu. Ele já entrou morto no banco. Ela se diz cuidadora dele, e de qualquer forma ela vai responder pelos crimes. Vamos continuar a investigação com demais familiares e entender se na data do empréstimo ele estava vivo", disse o policial. Mulher leva cadáver ao banco para tentar sacar empréstimo de R$ 17 mil Um vídeo, feito por uma funcionária do banco, mostra o momento em que a mulher tenta fingir que o idoso estava vivo. 

A todo tempo Érika segurava a cabeça de Paulo Roberto. Mas a falta de reação do homem chamou a atenção dos funcionários, e um deles gravou a cena. Uma atendente chega a dizer: "Acho que ele não está bem não". Érika ainda insiste e pede para que o homem assine os papéis. “Tio, tá ouvindo? O senhor precisa assinar. Se o senhor não assinar, não tem como. Eu não posso assinar pelo senhor, o que eu posso fazer eu faço. Assina aqui, igual ao documento. Assina para não me dar mais dor de cabeça”, diz Érika no vídeo. 

 Após desconfiarem da cena, funcionários do banco acionaram o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que constatou a morte de Paulo Roberto. O corpo dele foi encaminhado para o Instituto Médico-Legal (IML) para ser periciado. Érika poderá responder por estelionato e vilipêndio a cadáver. Em nota, o Itaú Unibanco, onde o fato aconteceu, informou "que acionou o Samu assim que identificou a situação e colabora ativamente com as autoridades para o esclarecimento do caso”.

O Globo




Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem