Robinho chega ao presídio em Tremembé (SP) após audiência de custódia

Nesta quinta-feira, 21, o ministro do STF Luiz Fux negou um habeas corpus do ex-jogador de futebol Robinho e manteve a ordem de prisão contra o atleta. Ele foi condenado a nove anos de prisão pelo crime de estupro coletivo a uma jovem albanesa. O crime aconteceu em 2013 em uma boate em Milão.




Robinho (Reprodução/Divulgação)


Robinho foi preso pela Polícia Federal no prédio em que mora no bairro de Aparecida, em Santos, litoral sul de São Paulo. Ele saiu em um carro descaracterizado com os policiais e seguiu para a delegacia.

Ontem, 20, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) determinou o início imediato do cumprimento da pena por estupro, o que tinha sido definido pela Justiça italiana.

"Diante da existência de trânsito em julgado da condenação e da possibilidade prevista no ordenamento jurídico brasileiro de transferência da execução da pena, não se vislumbra, sob este ângulo, coação ilegal ou violência contra a liberdade de locomoção do paciente", escreveu Fux.


TERRA

Postagem Anterior Próxima Postagem